terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Cáritas de Ota

Depois de uma formação nas Cáritas Diocesanas, 5 pessoas abriram em Ota uma associação de solidariedade chamada "Cáritas Ota". Primeiro realizamos a análise da realidade onde vivemos e trabalhamos e deitamos as "mãos à massa" . Ajudamos 10 pessoas com géneros alimentares fornecidos pelo Banco Alimentar que faz parte da Irmandade dos Senhores dos Passos em Alenquer.
Temos uma carrinha que faz o transporte de pessoas doentes em tratamento de fisioterapia. Atendemos todos aqueles a que a nós recorrem; doentes e necessitados...
Muito já foi feito mas ainda há um grande caminho a percorrer sendo necessário dar a conhecer a nossa associação e abri-la a mais pessoas que colaborem voluntariamente.

4 comentários:

Cuidar do To disse...

Parabens Bé, pela sua colaboração.
Continue a escrever noticias.

Sobre a Caritas-Ota, use este espaço dos "Comentários".
Pode também responder a perguntas que lhe venham a fazer sobre este assunto, por exemplo, acho que seria interessante dizer aos leitores deste Blog os vossos horários de atendimento, como fazem?
Padre Manel

DE MÃOS DADAS disse...

Estou a ver que há gente com iniciativa por todo o mundo.
Força estão de parabéns

DE MÂOS DADAS disse...

Foi apenas hoje que descobri
Cuidar do To.
Apesar de cuidar de muitos Tós durante toda a minha vida...
Vou tentar ajudar as pessoas no luto e em casos terminais de cancro. (fim de vida) através ."DE MÂOS DADAS NA CAMINHADA"

Gosto do ser humano e acho que deve ser dignificado.
Não sou uma associação sou uma pessoa individual, com certas competências inerentes á minha profissão.
Gostei de passar por aqui

.... disse...

Sou uma pessoa solidária e não o digo por dizer, posso ter pouco mas se alguém precisa de ajuda, eu ajudo no que posso, pois isso enriquece-me por dentro. Só tenho pena que certas associações como o caso das Cáritas de Ota, existam só para ajudar os conhecidos. Felizmente nem todas as instituições funcionam assim. Sou uma pessoa atenta a este tipo de situações e por todas as terras por onde passo, informo-me. E a minha pretenção é denunciar estes casos.